Microestrutura e Propriedades Físicas de
Materiais Porosos

Random Walk

O método de random walk é bastante usual para a determinação da condutividade elétrica de materiais multifásicos. Na indústria do petróleo é usual o parâmetro F, denominado de fator de formação das rochas reservatório, e definido na forma normalizada , onde é a condutividade do fluido que ocupa a fase poro e é a condutividade efetiva da rocha. Em um sistema em que apenas uma fase tem condutividade não-nula o algoritmo associado ao método é bastante simples (Fernandes, C.P.; Santos, L.O.E.; Philippi; P.C.; Rodrigues, C.R.O.; Gaspari, H.C.; Fator de formação de rochas reservatório de Petróleo, ENCIT 2002 - 9th Brazilian Conference on Thermal Engineering and Sciences, Caxambu/MG, 2002.).

A partir de várias posições aleatórias na fase condutiva, partículas sem massa (random walkers) são postas a executar um caminho randômico: executam passos de determinado comprimento, em direções randômicas, requerendo um determinado tempo. A distância (ao quadrado) de cada partícula em relação à posição original é computada em função dos passos de tempo. Para tempos suficientemente grandes, a distância média ao quadrado , tomada em relação a todas as partículas, será uma função linear do tempo de caminhada, , permitindo assim a determinação da condutividade efetiva ( é a fração de voxels acessíveis às partículas. Esta fração é a porosidade aberta do material, ou seja, está associada aos poros passíveis de serem invadidos por um fluido).


Modelos de feixes de tubos

Modelos multiescala

Redes de Percolação e grafos

Métodos de random-walk

 

 

 
 
Labortório de Meios Porosos e Propriedades Termofísicas
Campus Universitário - Trindade
Florianópolis - Santa catarina - Brasil - CEP 88040-900 - P.O. Box 476
Fone: (0--48) 331-9851