Microestrutura e Propriedades Físicas de
Materiais Porosos

Modelos multiescala – teoria da renormalização

Em microestruturas modeladas em sistemas de percolação multiescala a permeabilidade intrínseca pode ser calculada rapidamente. Para tanto, assume-se um domínio cúbico, onde cada poro, em cada escala do SPME, possui uma permeabilidade elementar, a qual é avaliada considerando-se localmente um escoamento de Poiseuille. Em duas faces opostas do cubo aplica-se uma pressão uniforme, de forma que o cubo fica submetido a uma diferença de pressão constante . As demais faces do cubo são assumidas impermeáveis. Em analogia com uma rede de resistências elétricas, têm-se redes cúbicas de permeabilidades e o problema consiste na determinação da permeabilidade efetiva do sistema. A resolução direta do sistema de equações lineares associado à rede de permeabilidades é razoavelmente demorada e necessita-se uma grande quantia de memória para sistemas com o tamanho linear da rede grande. Uma aproximação bastante utilizada é a utilização de métodos da teoria de renormalização constituindo-se algoritmos extremamente rápidos (J.F. Daïan, C.P. Fernandes, P.C. Philippi, J.A. Bellini da Cunha Neto, 3D reconstitution of porous media from image processing data using a multiscale percolation system, Journal of Petroleum Science and Engineering, 42/1,15-28, 2004).


Modelos de feixes de tubos

Modelos multiescala

Redes de Percolação e grafos

Métodos de random-walk

 

 

 
 
Labortório de Meios Porosos e Propriedades Termofísicas
Campus Universitário - Trindade
Florianópolis - Santa catarina - Brasil - CEP 88040-900 - P.O. Box 476
Fone: (0--48) 331-9851